SAS Brasil seleciona projetos para expedição em Sete Barras (SP), agendada para 11 a 15 de outubro

Campanhas, Vale do Ribeira 2, Voluntários 2017

Quer pegar a estrada com a gente e ajudar a levar mais saúde, alegria e sustentabilidade para populações que vivem em locais de difícil acesso do país? Entre os dias 11 e 15 de outubro, o SAS Brasil vai realizar uma nova expedição, no município paulista de Sete Barras (no Vale do Ribeira) e você pode ser o próximo a embarcar nela!

Sete Barras é uma das cidades mais carentes do Vale do Ribeira, que é a região mais pobre do Estado de São Paulo. Você já sabe que no SAS Brasil a gente acredita que cada pessoa tem muito a contribuir por um mundo melhor. Por isso, profissionais de todas as áreas de atuação são sempre bem-vindos.

A expedição de Sete Barras, em que faremos o atendimento de pacientes triados em julho, já está com as inscrições abertas. Vale dizer que o SAS Brasil não seleciona apenas voluntários, mas ideias e projetos que podem ser aplicados durante a expedição.

Para se inscrever, acesse já o formulário  

Sobre nós. Em cinco anos, já impactamos a vida de mais de 30 mil pessoas nas cinco regiões do país. Levamos atendimento médico nas áreas de ginecologia, odontologia, oftalmologia e dermatologia e também realizamos ações de sustentabilidade e entretenimento para crianças e adultos das comunidades atendidas.

Começamos em 2013, junto ao Rally dos Sertões. Mas, desde de 2015, realizamos expedições independentes (com diferentes parcerias), planejadas com base em estudos de regiões, populações e as reais necessidades de cada comunidade escolhida.

Vem com a gente nessa viagem e descobra a sua maneira de fazer acontecer.

Leia mais:

Como é organizada a logística de uma expedição?

Como é participar de uma expedição do SAS Brasil? 

 

Anúncios

Ajude o SAS Brasil e ganhe um final de semana em Ilhabela com passeio de jipe

Campanhas, Voluntários 2017

Que tal passar um fim de semana em Ilhabela (SP) com hospedagem grátis – em data a combinar, exceto feriados – e passeio de jipe? A oferta imperdível é apenas uma das recompensas da campanha de financiamento coletivo do SAS Brasil no Catarse, que segue até o dia 28 de setembro.

Sua doação pode nos ajudar a ir ainda mais longe e alcançar muito mais gente. Só na quinta expedição do SAS Brasil no Rally dos Sertões, mais de 4.500 pessoas foram impactadas pelas nossas ações de atendimento médico, entretenimento e sustentabilidade nas cidades de Santa Terezinha de Goiás, Alto Garças (MT) e Aquidauana (MS).

Para ter uma ideia do impacto, em um único dia de atendimento resolvemos mais problemas de saúde que o sistema público alcança em um ano em cada uma das cidades por onde passamos. Em Alto Garças, por exemplo, nossa equipe diminuiu a fila de espera em ginecologia na cidade.

Doe. Em 2017, a campanha é tudo ou nada. Ou seja, caso a meta de doações não seja atingida até dia 28, todo dinheiro será devolvido aos apoiadores.  Mas, a expectativa é conseguir os recursos para realizarmos a manutenção dos contêineres transformados em consultórios médicos, comprar aparelhos para exames oftalmológicos e os óculos que são doados durante as expedições e custear parte da valor gasto com o combustível dos carros da nossa caravana.

Acesse e compartilhe nossa campanha

Você pode contribuir com doações a partir de 30 reais. As recompensas variam de um cartão postal da expedição e agradecimento no Facebook até a garantia de uma vaga em uma das expedições SAS Brasil, a combinar com a equipe de coordenação do projeto.

WhatsApp Image 2017-09-11 at 10.43.35 (1).jpeg

Projeto de compensação de carbono do SAS Brasil realiza plantio de 124 mudas

25º Rally dos Sertões, Como foi, Voluntários 2017

O primeiro passo para zerar o impacto ambiental das expedições do SAS Brasil foi dado durante a quinta edição do projeto no Rally dos Sertões. Para o desafio de conseguir compensar todo carbono gerado com o transporte dos nossos voluntários, foram plantadas 124 mudas de espécies nativas nas cidades de Santa Terezinha de Goiás, Alto Garças (MT) e Aquidauana (MS).

Como já contamos aqui no blog, o projeto foi pensado pela engenheira civil Sara Diva, pós-graduada em construção sustentável e voluntária desde a nossa primeira expedição. Desde o início, a ideia não era só fazer o plantio e sim deixar um legado para as comunidades atendidas.

Para isso, Sara conta que as áreas que receberam as mudas foram escolhidas por órgãos ambientais locais.  “Eles, melhor que nós, sabiam onde o plantio era necessário”, revela. Áreas com nascentes degradadas ou sem sombreamento natural para os animais foram fatores levados em consideração.

Em Aquidauana, por exemplo, foram plantadas mudas de espécies nativas em área de preservação permanente da aldeia Limão Verde. A ação contou com a parceria do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul).

A princípio, os índios estavam resistentes achando que plantação seria em qualquer lugar. “Mas, quando expliquei que o objetivo era compensar nossa expedição e ao mesmo tempo trazer um beneficio ambiental para aquela região, eles logo abriram um sorriso e foram indicando vários locais onde gostariam que fosse realizado o plantio”, relembra.

Agora, a expectativa é expandir a ideia e buscar parcerias com organizações ambientais para compensar outras expedições.
SASSERTOES2017_20170823_080840

 

Voluntários do SAS Brasil contam o que aprenderam durante expedição

25º Rally dos Sertões, Como foi, Voluntários 2017

Até aquele dia, a jovem índia acreditava ser normal não conseguir identificar uma árvore no horizonte ou enxergar com clareza as feições de seus amigos. Moradora de uma comunidade indígena em Aquidauana (MS), ela chegou a sua pré-adolescência acreditando que o mundo ao seu redor era naturalmente embaçado. E que tudo bem ser assim.

Seu primeiro exame de vista da vida, durante a quinta expedição do SAS Brasil no Rally dos Sertões, levou às lágrimas a farmacêutica Tatiana Kim, voluntária do projeto desde 2015.  “Achei que o equipamento estava errado. Eu tenho cinco graus e mal consigo enxergar sem óculos. O exame dela indicava um déficit de sete graus e ela vivia normalmente”, relembra ainda comovida com a situação. A menina foi uma das 492 pessoas beneficiadas com um óculos de grau gratuito do projeto Ver Magia.

Já para o farmacêutico Gabriel Toffoli, a emoção veio durante o agradecimento do cacique da aldeia, que pela primeira vez recebia uma ação do tipo. “Não esperava que seria algo tão impactante. Sou uma pessoa difícil de chorar. Mas, quando ele nos reuniu para agradecer nosso trabalho, foi impossível não se emocionar”, conta.

Tanto Gabriel como Tatiana são da diretoria médica da Roche, patrocinadora do SAS Brasil. Quando embarcaram rumo a Aquidauana, para participar dos dias finais da maior expedição do SAS Brasil no Rally dos Sertões, os dois voluntários não acreditavam que aquela experiência poderia impactá-los tanto.  

“As pessoas esperavam o atendimento felizes, sem reclamar. Todas muito agradecidas. Era como se finalmente alguém se importasse com elas”, conta Gabriel, ao relembrar seu trabalho auxiliando a triagem dos pacientes.

No retorno ao trabalho, um novo ânimo. “Depois de uma experiência como essa, a gente aprende a viver o presente e fazer o melhor que podemos agora”, conta Tatiana sobre os aprendizados dos dias de ação. Para Gabriel, a mudança veio nos pequenos gestos do dia-dia. “Antes de reclamar, penso duas vezes. Sentir na pele a realidade das pessoas que recebem pouco dinheiro e atenção e ainda assim nos dão uma lição de alegria não tem preço”, encerra. 

Esse foi o primeiro ano que o SAS Brasil realizou atendimentos médicos e ações de sustentabilidade e entretenimento em comunidades indígenas. Entre os dias 25 e 26 de agosto, nossa expedição passou pelas aldeias Limão Verde, Buritizinho e Aldeinha, em Aquidauana (MS).